Blog do Bryan Rafael - Notícias de Zé Doca e Região

Técnica de enfermagem é a primeira pessoa a receber vacina contra a Covid-19 no Maranhão

O Governo do Maranhão iniciou, na noite desta segunda-feira (18), a vacinação contra o novo coronavírus (Covid-19) no estado, em cerimônia realizada no estacionamento interno do Palácio dos Leões.

 

As cinco primeiras doses da imunização foram aplicadas em profissionais da saúde da rede estadual e indígenas, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da vacina CoronaVac e o Ministério da Saúde enviar pouco mais de 164 mil doses para o Maranhão.

 

A primeira pessoa vacinada contra a Covid-19 no Maranhão foi Egle Maia Sousa, de 46 anos, que é técnica de enfermagem no Hospital Carlos Macieira, um dos principais centros de referência no tratamento do coronavírus no estado.

 

Em seguida, foram imunizados: Fabiana Guajajara, indígena da Aldeia Arariboia; Conceição de Azevedo, médica infectologista do Hospital Presidente Vargas; Henrique Novaes Sobrinho, fisioterapeuta do Hospital Carlos Macieira; e Sônia de Matos, enfermeira do Hospital Genésio Rêgo.

 

Segunda pessoa a ser imunizada contra o coronavírus no Maranhão, a indígena Fabiana Guajajara cantou para celebrar o início da vacinação no estado e convocou a população para participar da campanha. “Agradeço muito a Deus e a toda essa equipe que vem desenvolvendo um belíssimo trabalho. Vacinar é preciso para continuar existindo”, afirmou.

 

Logo após a aplicação das primeiras vacinas no Maranhão, o governador Flávio Dino falou sobre o combate à pandemia no estado e ressaltou que ainda há muito trabalho a ser feito nos próximos meses.

 

“Antes de mais nada, fica a minha homenagem ao Sistema Único de Saúde (SUS), que salvou e salva milhões de vidas. Agradeço também aos profissionais que participaram, aos cinco que foram vacinados hoje.

 

Provavelmente é a vacina mais rápida da história, tivemos essa velocidade alta graças à pesquisa da ciência mundial, mas a pandemia está longe de acabar, a vacina não substitui as medidas preventivas e assistenciais”, destacou Dino.

 

Imirante.com

Categoria: Uncategorized

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*